Atendimento humanizado em UPA é elogiado nas redes sociais

“Por que não há outros médicos como o Dr. Davi? Acredito que haja outros por aí, que as pessoas esquecem de agradecer e enaltecer. Temos uma grande tendência a só reclamar e nunca agradecer.”

Atender bem não é apenas ser educado (o que é absolutamente importante), é também ser atencioso, ter empatia e se mostrar realmente interessado em ajudar. Não é todo dia que somos atendidos por profissionais atenciosos e simpáticos por aí, por isso, quando acontece temos que contar!

Principalmente se estamos falando de hospitais públicos, onde a situação anda bem caótica. Quando isso acontece tudo o que podemos fazer é agradecer por essas pessoas surgirem em nossas vidas, afinal nenhum carinho é demais, certo?!

            E, esse foi o caso de Cleide Rocha e Rosane Nakamura, ambas passaram por uma consulta com o Dr. Davi Felitti na UPA Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo. Rosane, que acabou perdendo o convênio médico após uma separação com o marido, levou sua filha Alice para ser atendida lá após a menina ter passado mal, e se surpreendeu com o atendimento ao ver o médico conversando com uma idosa bem debilitada antes de entrar no consultório.

Segundo ela, o Dr. Davi pediu para que ela se apoiasse nele para que entrassem juntos, facilitando sua locomoção.  Para ela, aquele tipo de situação era realmente rara por ali e, pelo que parecia, para todos os outros pacientes presentes. “A forma como o doutor Davi foi até a recepção, falou com aquela senhora, com certeza fez a dor sumir por instantes. Ela chegou com a cabeça prostrada, com muita dificuldade. Quando ele se aproximou dela e disse ‘vem que eu ajudo a senhora’ e foi conversando com ela. Ela ficou tão encantada, que talvez só a conversa já tenha ajudado muito”, conta Rosane.

Link dos post:

https://www.facebook.com/rosane.nakamurasilva/posts/1460615690708696

https://www.facebook.com/story.php?story_fbid=1190861664392031&id=100004046277777

 

Com Cleide não foi diferente. Ela também levou sua filha para a consulta e elogiou e muito o atendimento diferenciado que recebeu. “Atenção, interesse pelo mal apresentado e em dar solução, cuidadoso em explicar o que seria feito, zeloso!! Enfim, ao concur!”, conta. De fato, é algo de impressionar qualquer um, apesar de que todos concordam que não deveria ser assim. Atos como o do profissional Davi deveriam ser corriqueiros, não é?

Rosane, claramente, concorda. “Por que não há outros médicos como o Dr. Davi? Acredito que haja outros por aí, que as pessoas esquecem de agradecer e enaltecer. Temos uma grande tendência a só reclamar e nunca agradecer. Quanto ao restante dos médicos acredito que a pressão, do número de pacientes para atender, a escassez de medicamentos, ferramentas de trabalho, burocracias para exames, para novos atendimentos…tudo isso, tenha adormecido o lado humano deles”

Além disso, ela também acredita que muitos profissionais talvez não tenham recebido um bom preparo para lidar com o ser humano (Acreditamos que o Dr. Davi teve 😉) por isso, se torna um caso atípico.

Veja o vídeo que andou circulando por aí:     https://vimeo.com/235791322

Tudo o que sabemos é que talvez existam muitos outros doutores Davi por aí praticando a empatia e a grande questão é: como fazer para essas pessoas serem cada vez mais vistas pelos outros? Se cada vez mais vermos esses profissionais como eles devem, outros vão seguir o exemplo. Não é a toa que tanto Cleide como Rosana resolveram divulgar a postagem nas redes sociais para mostrar aos outros como um bom atendimento pode surpreender e encantar, fazendo a diferença no mundo.

E aí, gostou? compartilhe essas boas notícias com outras pessoas, dá um clique aqui embaixo e #boraencantar