(11) 3316-1122
Escolha uma Página
Carteiro surpreende cliente ao ir além do esperado para realizar sua entrega.

Carteiro surpreende cliente ao ir além do esperado para realizar sua entrega.

Usando de sua empatia, carteiro faz uma entrega que surpreende a cliente Fernanda pela sua determinação e profissionalismo

“Ele não precisava fazer isso, fez além do que deveria.
Acredito que existam pessoas boas, que pensam no próximo. Eu tive a sorte de ter o Leandro. ”

E não era qualquer encomenda que a jornalista Fernanda Lima Antunes, de Santa Isabel, interior de São Paulo, aguardava ansiosamente, ela aguardava suas novas alianças. Leandro tocou no portão da casa, contudo ninguém apareceu, porém usou a empatia como forma de ajudar na sua entrega.

As pessoas costumam reclamar bastante sobre a demora dos Correios para entregar suas encomendas. E por isso mesmo precisamos falar de profissionais que não só entregam a encomenda no tempo certo, mas que fazem mais do que esperado. O carteiro Leandro Costa com certeza é um deles, que surpreendeu a cliente.

E não era qualquer encomenda que a jornalista Fernanda Lima Antunes, de Santa Isabel, interior de São Paulo, aguardava ansiosamente, ela aguardava suas novas alianças. Leandro tocou no portão da casa, porém ninguém apareceu. Foi quando ele viu um número de telefone e resolveu ligar.

Leandro disse à Fernanda que ela provavelmente não ouviu ele bater no portão por causa do barulho da forte chuva que caía, e que poderia voltar no dia seguinte, mas, impressionada com tamanha preocupação, Fernanda combinou de encontrá-lo na rua para pegar suas alianças.

“Ele não precisava fazer isso [me ligar], fez além do que deveria. Fez porque é uma pessoa boa. Acredito que existem pessoas boas, que pensam no próximo. Eu tive a sorte de ter o Leandro, mas poderiam ser outras pessoas.”, disse Fernanda.

Já Leandro, afirma que não fez mais do que sua obrigação. Isso porque ele usou a empatia para se colocar no lugar do seu cliente. Nas palavras dele: “Se fosse eu que estivesse esperando a encomenda, gostaria que o entregador tivesse tentando todas as alternativas.

Para alguém como eu, pode ser uma simples encomenda, mas para quem está esperando, é sempre um momento especial”.

Fernanda fez um post no seu perfil do Facebook exaltando a dedicação e o empenho de Leandro. O carteiro ficou lisonjeado e agradecido, pois “muitas das vezes fazemos algo a mais por algumas pessoas, e não somos reconhecidos, até somos criticados. Mas ela fez questão de postar um pequeno gesto que fiz. Sou muito grato a ela por tudo”.

É isso, Leandro, bons profissionais merecem ser exaltados sempre, ainda mais sendo de uma categoria pouco valorizada, como a sua. Devido à ansiedade para receber a encomenda, quase nunca passa pela cabeça do cliente todo o percurso que vocês fazem e as condições do dia.

“O destinatário está sempre na expectativa da entrega, independente do sol ou chuva. Então, tenho toda a atenção em tentar realizar a entrega com sucesso para a felicidade do cliente e a execução do meu trabalho.”

De baixo de chuva, Leandro usou todas as alternativas que tinha para entregar as alianças de Fernanda. Ele não precisava ter ligado, poderia voltar no dia seguinte, mas, não. O carteiro é digno do reconhecimento de Fernanda e de todo mundo que sabe reconhecer o valor de profissionais que fazem seu trabalho pensando na felicidade do cliente.

crédito das fotos: Reprodução/Facebook Fernanda de Lima Antunes

E aí, gostou? compartilhe essas boas notícias com outras pessoas, dá um clique aqui embaixo e #boraencantar

Deficiente auditiva ajuda restaurante a adaptar sistema de pedidos para outros deficientes

Deficiente auditiva ajuda restaurante a adaptar sistema de pedidos para outros deficientes

“Percebi, que quando estava sozinha, evita o local pela dificuldade de realizar meu pedido, pois não teria ninguém que pudesse me ajudar, sentia até um frio na barriga”

Quem poderia imaginar que pequenas ações pudessem transformar o mundo? Às vezes, não paramos para pensar nisso, mas um simples gesto pode ser capaz de alterar a forma como vivemos.

E é esse o caso de Giovanna Andreo, de 26 anos, musicista formada em letras pela Unicamp. Desde pequena, ela canta e toca piano, violão e guitarra, podendo ser considerada uma apaixonada por música. Após trabalhar um tempo como professora, a musicista começou a trabalhar em uma empresa de Treinamento e Desenvolvimento de pessoas e equipes e se assustou quando descobriu há cinco anos um problema progressivo de perda de audição hoje, bem evoluído. Como ficaria sua vida sendo a música sua maior paixão?

Muitos pensaram que ela desistiria de continuar praticando, mas não foi bem essa a decisão que ela tomou, pelo contrário, afinal essa nunca foi uma opção.

Hoje, Giovanna toca pela vibração dos sons dos instrumentos. “Foi uma adaptação que começou de forma natural e que foi aprimorando com o tempo! Hoje a experiência musical se tornou muito mais intensa, diferente e me alivia muito perceber o quanto o nosso corpo surpreende!”, revela. Agora, sua intenção é poder ajudar todos que compartilham do mesmo problema de audição.

Uma pequena e importante ação que ela já realizou foi no restaurante mexicano Guaco, em Campinas, lá a ideia é que os clientes façam o pedido igual no Subway onde as pessoas vão escolhendo os ingredientes que querem em seu lanche.

Para Giovanna, o lugar sempre foi muito legal e, por ser, perto de seu escritório, virou quase uma ‘obrigação’ ir lá com uma certa frequência durante a semana. Rápido, gostoso e com o preço justo. Tudo parecia perfeito, porém “Esse sistema de pedidos no balcão, de conversa rápida, não é muito prático para os surdos. Talvez pelo fato de ter perdido a audição depois de mais velha, faço muitas comparações com situações de ouvinte/não ouvinte. E foi isso que aconteceu lá. Eu percebi que, toda vez que estava sozinha, acabava indo em outro lugar, pois não teria ninguém para me ajudar caso eu não entendesse e tivesse que entender rápido”, conta.

Para ela, é um frio na barriga ter que passar por essas situações de compreensão com pressão de tempo. Por isso, sempre seu namorado acabava fazendo o pedido por ela para evitar aquele nervoso.

https://www.instagram.com/p/BpiKrjnncyK/

Mas e se ela conseguisse mudar esse sistema?

Foi justamente o que a musicista decidiu fazer. “Acabei por escrever para o Guaco, sugerindo algum tipo de acessibilidade nesse aspecto. Acho que mais pessoas na minha situação podem se beneficiar com isso e, por incrível que pareça, eles foram super solícitos!”, conta.

O que Giovanna sugeriu foi uma ficha de pedido para facilitar a vida de pessoas como ela.

E não é que eles abraçaram a causa? Poucos dias depois a ficha já estava em sua caixa de entrada para sugerir mudanças e melhorias.

De fato, ações como essa são capazes de mudar para melhor a vida dos outros. “Elas impactam na nossa liberdade e na nossa independência diretamente. Essas ideias deveriam ser muito mais propagadas. Mas percebo frequentemente as pessoas sofrerem quietas pela sua dificuldade. Depois que eu caí de paraquedas na cultura surda, comecei a perceber o quanto de “perrengue” se passa e que poderia ser evitado com medidas simples de adaptação. Por isso, hoje, toda vez que eu sinto isso, eu escrevo, vou atrás, e vejo até onde consigo brigar pela mudança. Vale muito a pena. Pelos outros e por mim”, revela Giovanna.

“O mais engraçado é que a gente se surpreende muito com algo que, na verdade, deveria ser comum. A maioria das pessoas acha que acessibilidade termina na rampa de acesso, no número em braille no elevador… Mas a surdez é uma deficiência que passa meio despercebida. A gente é tão acostumado com o “se virar”, que quando algum lugar se dispõe a fazer algo do tipo, é pra abrir um sorriso de orelha a orelha. Fiquei muito, muito feliz mesmo, por mim e por todos os outros como eu. Acabei fazendo um post de agradecimento e jamais imaginaria que ele tomaria a proporção que tomou, mas valeu muito a pena. Sou fã do local desde sempre, mas agora eles ganharam um respeito diferenciado. Mesmo!”, disse ela.

Hoje,ela se orgulha e muito de ser surda e tenta melhorar o mundo a cada instante para todos. “Ninguém deve ficar de fora. Ninguém precisa passar nervoso, constrangimento. Todo mundo merece ser feliz por igual e o Guaco trouxe algo muito especial para ajudar nisso!”,conta.

É,a Giovanna conseguiu realmente fazer a diferença na vida dela e de pessoas que compartilham da mesma dificuldade. Que tal colocarmos esse ideal no nosso dia a dia também?

E aí, gostou? compartilhe essas boas notícias com outras pessoas, dá um clique aqui embaixo e #boraencantar

Cadeirante devolve tênis com zíper ornamental que achou que funcionasse e é surpreendida pela Marca

Cadeirante devolve tênis com zíper ornamental que achou que funcionasse e é surpreendida pela Marca

Não é de hoje que as pessoas têm criado um certo costume em procurar sites para fazer compras online ao invés de ir pessoalmente procurar pelo produto desejado. Mas e quando algo dá errado? O tamanho vem errado, não serve, ou você simplesmente não consegue usá-lo? Bem, foi isso que aconteceu com a Maria do Carmo Vorcaro, uma cadeirante que nem sempre encontra calçados. Assim, após se interessar por um tênis da marca Arezzo, ela decidiu comprá-lo online. Por ter um zíper, ela tinha certeza que não haveria problemas para usá-lo.

Assim que o recebeu, contudo, veio a surpresa: o zíper era apenas decorativo, usado como um detalhe para decorar o sapato. Para sua tristeza, Maria teve que devolvê-lo, explicando o problema. E foi ai que a verdadeira surpresa aconteceu! Além do valor devolvido a cliente, a Arezzo teve uma ação surpreendente.

Maria  recebeu em sua casa um tênis totalmente personalizado e adaptado, atendendo suas expectativas. “Foi surpreendente receber um tênis totalmente personalizado, tanto com o zíper funcionando (e não decorativo como viera) quanto com uns pequenos luxos, como meu nome impresso na palmilha. Muito inesperado, porque o tinha devolvido por não me atender e apenas explicado o motivo para a atendente Arezzo. Eles tinham devolvido o valor pago, portanto foi inesperado”, contou Maria.

Agradecida pelo atendimento prestado, ela revela que tinha certeza que eles apenas fariam a devolução do valor, já que era a proposta da loja em caso de devolução, se o produto não servisse ao comprador. “Devolveram e eu não esperava mais que isso, já estando contente por ter essa possibilidade”, disse ela.

Acho que ninguém imaginava que a Arezzo apareceria com essa iniciativa, não é mesmo?! E muito menos Maria que achou a atitude nobre e inteligente. “Pois funcionou, ao custo de um tênis, como uma propaganda muito efetiva! No meu facebook agradeci e fui muito curtida e comentada. Mas os comentários no facebook da minha filha, que tem muito mais contatos que eu, foram em quantidades exponenciais!”, revelou a cliente.

De fato, um bom atendimento muda tudo, não é mesmo?! E a Maria, é claro, não tem nem como agradecer por tamanha boa vontade da loja. “Nunca fui tão bem tratada e tenho certeza que se as lojas em geral percebessem que uma atitude doadora individual, atendendo a motivos individuais, pode ser mais efetiva que contratar quem exiba seus produtos. Sua ação plena de empatia funcionou como um acréscimo de humanização na marca… opinião pessoal baseada na leitura de inúmeros textos que suscitou e me foram enviados”, revelou ela.

Depoimento no Facebook: https://www.facebook.com/leticiavorcaro/posts/10154973610153613:0

E você? Acha que um atendimento como esse que a Maria recebeu pode tornar o mundo melhor? Saiba mais histórias de atendimentos que encantam! BoraEncantar? Cliqueaqui.

Instaladores de Internet surpreendem e emocionam cliente ao tocarem piano em sua casa

Instaladores de Internet surpreendem e emocionam cliente ao tocarem piano em sua casa

“Uma emoção indescritível!” É assim que Priscila De Carvalho, paranaense de Araucária e engenheira de produção, descreve o momento único que presenciou em sua própria casa quando instaladores de internet da COPEL apareceram e Robert, seu marido, estava lá para recepcioná-los. Já ela estava em um projeto social com idosos no dia, pela manhã, sem saber o que aconteceria momentos depois.

Os ‘meninos’ como ela mesma chama, Gil, Adilson e Ricardo, apareceram para realizar a instalação e seu marido recepcionou tudo. Logo depois, os quatro começaram a conversar, falaram sobre projetos sociais e música. E eles, é claro, haviam reparado no piano na sala de Priscila e revelaram que tocavam; um tocava violão e cantava, o outro, bateria e o Ricardo, teclado. Não demorou para que seu marido dissesse “toca uma música no piano pra gente?”

Mesmo envergonhado, o homem se dispôs a tocar. “Quando ele tocou a primeira música meu marido imediatamente me ligou, pois sabe da minha paixão por música e por piano em especial. Ele disse ‘Pri corre pra casa, venha ver o que está acontecendo aqui!’. Eu corri para casa e quando cheguei eles estavam tocando ‘Hallelujah’ e fazendo um coral de vozes lindo!! Fiquei muito emocionada. Uma emoção indescritível, um sentimento maravilhoso, uma música linda, um momento único. Ele são muito humildes e puros de coração. Pessoas encantadoras com um dom divino. Achei uma atitude linda, pelo respeito que todos tiveram, tanto meu marido em convidá-los para tocar sem hesitar e eles por aceitarem tocar na casa de um desconhecido”, contou Priscila.

Assista o vídeo que emocionou a todos:

https://www.youtube.com/watch?v=iOnhOjsJkk0

Maravilhada com a sequência de emoções que por ali surgiram, Priscila não poderia ter se sentido mais feliz em presenciar uma cena tão única como aquela. Afinal, quando ela poderia imaginar que algo assim aconteceria em sua própria sala, tocando o coração de várias pessoas? Por meio de um vídeo, ela decidiu compartilhar o momento com outros. “Foi uma emoção tão linda vivenciada aqui em casa que mais de 5 milhões de pessoas no Brasil e no mundo visualizaram o vídeo, compartilharam, comentaram e nos mandaram mensagens de amor e fé, nos falando o quanto aquele vídeo com tanto amor e emoção tocou em sua vidas. E isso, não há nada no mundo que pague!”, revela.

Com certeza esse momento ainda permanecerá por muito tempo na cabeça de Priscila como algo raro capaz de unir as pessoas. “Acredito que mais pessoas devem agir assim, deixar que anjos de Deus toquem sua vidas. Vivemos em um mundo onde todos são programados e educados para ser máquinas, pessoas perfeitas, que não podem cometer erros. O mundo vem perdendo sua humanidade. A essência do que realmente importa em nossas vidas. Coisas que dinheiro nenhum pode comprar. Sentimentos e emoções que apenas quando são verdadeiros, tocam o coração e a vida das pessoas. E hoje ele diria, de milhares de pessoas!”, conta ela.

Para Priscila, o mundo necessita de mais humanidade, de mais gestos que tocam o coração. “As pessoas estão carentes desse sentimento puro que a fé nos trás. Em momentos como este podemos entender o real sentido da vida”, revela a engenheira. Você também concorda com ela? Acha que todos podemos criar um pouco mais de empatia e amor pelo próximo?


E aí, gostou? compartilhe essas boas notícias com outras pessoas, dá um clique aqui embaixo e #boraencantar

Banco envia lembrancinha para cachorro de cliente após descobrir que ele estava doente

Banco envia lembrancinha para cachorro de cliente após descobrir que ele estava doente

O que você faria se estivesse com o dinheiro certinho para pagar uma conta e, de repente, acontecesse uma emergência e você tivesse que usá-lo? Pois é, você se veria diante de uma situação um tanto complicada, já que não haveria mais como pagar a conta, não é mesmo?! Foi assim com Tuilla Oliveira, fisioterapeuta, que teve que levar seu cachorrinho Tobby ao veterinário, atrasando o pagamento do seu cartão.

Dias depois ela acabou recebendo um e-mail do banco Nubank cobrando o pagamento e rapidamente Tuilla entrou em contato com eles pelo aplicativo para explicar a situação. “Era meio de mês, as contas já haviam sido quase todas pagas e só faltavam os dois cartões pra pagar. Já estava com o dinheiro separado em casa. Disse que não tinha como esperar até o próximo pagamento para levá-lo ao veterinário, então usei o dinheiro que seria usado para pagar o boleto do cartão”, conta ela.

Quem a atendeu foi Pedro que, segundo a moça, pareceu bastante simpático e solícito. Entendendo a situação, ele percebeu que era um gasto inesperado e que não havia como esperar. “Perguntou se eu podia pagar uma parte do valor, que assim, ele emitiria um novo boleto com o valor que eu pudesse pagar. Eu estava para receber um dinheiro, então dei um valor bem perto do total e pedi para colocar a data de vencimento para o início da semana seguinte. Dessa forma, o valor dos juros e da multa por atraso seriam menores do que se esperasse pra pagar o valor completo no mês seguinte”, revelou.

Para sua surpresa, o atendente perguntou se Tobby havia melhorado e se estava bem. “Disse que também adoravam cachorros e me mandou um foto do cachorro dizendo que ele ficava no escritório às vezes. Eu fiquei apaixonada! Mandei uma do Tobby e ele também gostou muito. Disse que esperava que ele ficasse bem e saudável novamente”, disse.

De fato, para Tuilla foi algo bastante inusitado ter uma conversa tão informal, incluindo fotos e perguntas pessoais sobre seu cachorro. Algo que definitivamente fez diferença no dia dela.

Mas isso não foi tudo! Algum tempo depois, em um sábado, ela recebeu uma encomenda e achou estranho, já que não havia pedido nada. Quando descobriu o que era, não conseguiu acreditar. Junto a uma cartinha, havia uma lembrancinha para o cachorrinho.

“Fiquei bastante surpresa. Já tinha tanto tempo que essa situação ocorreu que nem me passou pela cabeça que teria algo a ver com isso. Eu já era muito fã da empresa, mas depois disso ganharam meu coração. Fiquei muito mais feliz e encantada do que ficaria se o presentinho fosse pra mim”, contou Tuilla.

Sem sombra de dúvida, a atenção que o banco teve com ela foi o que a fez perceber ainda mais a seriedade, a empatia e a cumplicidade da empresa. “Um atendimento humanizado assim aproxima clientes e empresa de uma forma muito simples. Demonstrar que se importa, nos diz muito sobre o tipo de relacionamento que querem ter com seu clientes. Achei de uma gentileza sem tamanho. Sem falar que é um marketing muito bom, muitas pessoas pediram indicação para solicitar o cartão, depois que postei a história no grupo”, revelou a cliente.

Realmente um atendimento como esse muda todo no nosso dia a dia, não acha?!


E aí, gostou? compartilhe essas boas notícias com outras pessoas, dá um clique aqui embaixo e #boraencantar

Atendente pega filho de cliente no colo após birra e surpreende com delicadeza

Atendente pega filho de cliente no colo após birra e surpreende com delicadeza

Quantas pessoas por aí já não reclamaram de ter que ouvir crianças birrentas chorando pelo shopping, avião, etc? Exato, muitas.

E nenhuma delas sequer já chegou a propor algum tipo de ajuda, já que, como sabemos, o papel de uma mãe pode ser realmente desgastante, ainda mais quando estão em áreas públicas. E geralmente é assim para a administradora de empresas, Catharina Lirya, mãe de um menino de um ano.

Assim que entrou em uma loja com ele, em um primeiro momento, o garotinho parecia se comportar com ela o carregando no colo. Inclusive, a atendente nem chegou a dar confiança, talvez por estar com ele, como acredita Catharina. Diante disso, ela se direcionou para outra loja e foi aí que a coisa desandou!  

“Então, eu saí e fui em direção a essa loja… Como deixei meu filho ir andando… quando chegou na outra loja e eu precisei pegar ele de novo (por causa dos produtos que ficam muito baixos), foi ai que começou a cena! Se jogou pra trás, gritou, porque queria ficar no chão… Eu fui ver lembrancinha para o dia do professor, então jamais ia deixar no chão com medo que quebrasse algo”, revelou.

E foi aí que ela percebeu um dos atendentes olhando para eles, e de repente, ele se aproximou oferecendo água para seu filho. Após recusar, ele continuou conversando e sugeriu que Catharina o deixasse no chão. “‘Então deixa ele no chão’, ele disse e eu falei: ‘Nem pensar… ele vai bagunçar tudo’ e ele: ‘Eu arrumo’’’. Confusa, ela achou estranho tudo aquilo, mas quando o homem se ofereceu para pegá-lo no colo, ela aceitou. Poucos minutos depois, ele foi com o menino na sessão de shampoo e pegou um que imita carrinho, sentando-se no chão junto ao garotinho.

Abismada, a mãe ficou mais do que agradecida pela atenção do atendente com seu filho, diferente dos outros que tendem a olhar para crianças pequenas só quando estão quietinhas e calminhas, mas se distanciam quando a choradeira começa.

Para Catharina, o máximo que já fizeram foi dizer ‘calma, bebê’. Mas “nunca sentar no chão para brincar com a criança, nunca tinha passado por isso’’, como ela mesmo diz. E sem falar que, para seu espanto, o atendente que teve todo esse cuidado nem tinha filhos. Era só uma questão de um humano para outro humano. Simples assim

Atendente pega filho de cliente no colo

Para Catharina, assim como provavelmente para todas as mães, esse tipo de atendimento é mais do que necessário, é uma questão de empatia e carinho que fazem toda a diferença, não é mesmo?!

No fim, ela chegou até a fazer o cartão da loja, o que nunca tinha feito em nenhum outro lugar antes, apenas porque sentiu um tratamento completamente diferente.

“O mundo precisa de mais pessoas assim! Eu fiquei tão feliz! Ele, o atendente – Cassiano, é novinho, sem filhos, poderia só olhar como todos fizeram, mas ele decidiu que iria ajudar. E a gente como mãe/mulher se sente bem mal de não conseguir conduzir a situação… Ele foi uma benção!”, revela.

E aí, gostou? compartilhe essas boas notícias com outras pessoas, dá um clique aqui embaixo e #boraencantar