(11) 3316-1122
Escolha uma Página

Uma atitude simples de um segurança do Shopping Curitiba, da rede BrMalls, viralizou nas redes sociais essa semana. Ele recebeu uma mãe com um filho autista e o cachorro dele na praça de alimentação. Apenas isso, mas para Rita de Cassia Armstrong e Henrique Zborowski Armstrong, o gesto de acolhimento foi uma grata surpresa.

Freud é o companheiro inseparável de Henrique, jovem de 22 anos.

Segurança autorizou rapaz autista a entrar com cão em shopping, em Curitiba. Foto: Reprodução / RPC

O rapaz é portador do Transtorno do Espectro Autista (TEA), sendo indicado por um psiquiatra a adoção de um cachorro para lhe fazer companhia. “Para as pessoas com autismo, ajuda a se sentir em casa, ajuda a ficar mais a vontade e gera também a possibilidade de mais interação social”, afirma Amanda Bueno, analista de comportamento.

Duas pesquisas, uma da Universidade do Missouri, nos EUA, e outra da Universidade de Montreal, no Canadá, comprovaram que o convívio com cães contribui de forma considerável o nível de socialização e desenvolvimento de suas habilidades. Além disso, os cães auxiliam os autistas a melhorarem sua linguagem corporal, sejam eles crianças ou jovens.

No domingo, 24, Henrique e a mãe foram para Shopping Curitiba para almoçar. Freud, claro, estava junto, mas precisava de autorização prévia para poder entrar na praça de alimentação.

Ela conta ter informado ao segurança, Guilherme, que o filho era autista e perguntou se ele já tinha ouvido falar do ‘cão-assistente’, ao que ele respondeu ter ciência somente dos ‘cães-guia’, para indivíduos cegos. “‘É a mesma coisa?’, ele me perguntou. Eu disse que sim, pois o cão-assistente tem laudo e carteirinha específicas para pessoas autistas”, relembra Rita.

Guilherme olhou rapidamente, de relance, a carteirinha e convidou a família para entrar e ficar à vontade na praça de alimentação, conduzindo-os gentilmente até o pátio. “Ele me disse que o pátio era melhor para o Henrique porque não havia tanto barulho e que ele se sentiria mais seguro e tranquilo do que nos andares de baixo.”

Emocionada com a atitude do rapaz, Rita gravou um vídeo agradecendo sua compreensão e simpatia.

Assista aqui o vídeo:

“Depois de tanto chorar por ser humilhado e expulso dos lugares, agora aqui nós choramos de alegria, de emoção”, disse.

A emoção por terem sido bem tratados demonstra o quanto a rotina é difícil no dia a dia da paranaense e do filho. O que deveria ser a regra infelizmente é exceção.


Foto: Reprodução / RPC

Rita afirma já ter passado por situações de incompreensão e até de desrespeito. Diz que, infelizmente, ainda são comuns.

“A gente passa por tudo isso. Um momento de estresse que essa mãe passa junto com seu filho deficiente bota tudo por água abaixo.”

Henrique e a mãe voltaram ao shopping para agradecer Guilherme pela postura que teve. O jovem também o presenteou com uma história em quadrinhos da qual ele fez parte.

“Ele fez uma peça com os coleguinhas quando era mais novo, então é muito especial – e ele não dá pra qualquer um!”, brincou a mãe.


O segurança recebeu um presente de Henrique como gesto de agradecimento por seu atendimento humanizado. Foto: Reprodução / RPC


Para o segurança, atender Rita com compreensão e humildade foi algo natural, pois ele já estava treinado para esse tipo de situação. “Damos esse apoio para [famílias como a de Rita], e fico feliz que tenha sido tão especial para ela.

“Ele foi muito além do que seria um bom atendimento. Muito além: ele foi puro amor e é disso que nós precisamos.”