Transforme seu Atendimento, dando autonomia ao atendente

Pode ser uma tarefa muito difícil para o empreendedor que já tem seu modelo de negócio bem estruturado do jeito que é, com sua configuração padrão de trabalho e metodologia. O Atendente entra e aprende daquela forma, utiliza daquela forma e fica engessado por não poder fazer mais ou diferente.


Acostumamos a seguir um script padrão dentro do trabalho, ele costuma ser a chave mestre dos atendimentos, utilizado para qualquer tipo de situação, e normalmente todas as situações, são as situações tradicionais. E quando algo foge do tradicional, como agir?


Primeiro, questionamento que você precisa fazer é: Como posso seguir um padrão e pensar na experiência do meu cliente ao mesmo tempo?


A experiência deve ser planejada sim, mas também única para cada cliente. E sendo única, fica difícil fazer um copia e cola para todos, não é mesmo?!


Quando o atendimento tem o foco em proporcionar uma experiência ao cliente, o empreendedor, ou gestor, precisa dar autonomia para quem está realizando essa experiência. Ele precisa confiar e ouvir as ideias, sugestões e feedbacks que recebe de quem está na linha de frente, em contato direto com o cliente. Essas pessoas são as que podem dizer com mais assertividade, qual a melhor forma de atender, o que o cliente quer, o que ele precisa.


O atendimento é a ponte entre o cliente e a empresa, e essa ponte pode ser fortalecida quando o atendente consegue conduzir o atendimento de acordo com as necessidades de cada cliente atendido. E para isso, é preciso ter autonomia. Autonomia para poder ousar, autonomia para poder arriscar e buscar informações preciosas para Encantar o cliente.


Sem a autonomia e o devido valor que esses profissionais precisam, seu atendimento vai continuar robotizado, frio e desumano. E dessa forma, ele está fadado ao fracasso, porque ninguém mais quer ser tratado como um número no faturamento, o cliente quer ser ouvido, atendido e encantado.